Os dados como um ativo fundamental para o B2B
28/06/2021
Por Axesor

Impulsionada pelo desenvolvimento digital e pela ascensão da Internet, a informação tornou-se um dos ativos intangíveis mais importantes das empresas, especialmente as que operam no sector B2B. De facto, os dados são vistos como o novo petróleo da economia global, e as organizações devem aprender a capturá-lo e geri-lo corretamente para otimizar a tomada de decisões.

Porque é que os dados são os ativos mais importantes de uma empresa B2B?

A análise dos dados é fundamental para a obtenção de conhecimentos úteis que permitem otimizar a tomada de decisões e vendas, operacional, marketing, gestão de riscos e uma miríade de áreas que, bem administradas, contribuem para o crescimento da organização.

Dada a complexidade das suas operações, as empresas B2B geram grandes quantidades de dados todos os dias, que vão desde informações históricas, os dados associados a seus clientes, até aquelas que emergem de operações transacionais, o desempenho financeiro de um produto específico ou de um canal determinado e processos de fabricação, logística ou marketing. No entanto, toda essa informação não é muito útil por si só: a chave do sucesso é recolhê-la, processá-la e transformá-la em conhecimento útil.

É aí que a ciência de dados entra em jogo para, por exemplo, otimizar vendas B2B e ações de marketing. Uma vez que as empresas entendam como gerenciar essas informações, elas ganham um impulso que pode levá-las a posicionar-se acima da concorrência. Por isso, os dados são atualmente um dos ativos mais importantes da empresa para uma ótima gestão corporativa, principalmente num mercado tão complexo como o atual.

Assim, as empresas orientadas a dados, aquelas que colocam os seus dados no centro da sua estratégia, têm a melhor chance de sucesso. Nesse sentido, um relatório da Forbes Insights em colaboração com a EY indica que 66% das empresas desse tipo aumentaram os seus lucros em pelo menos 15% e 60% admitiram que reforçaram as suas fraquezas contra riscos factíveis.

Embora as possibilidades de uso dos dados sejam infinitas, uma das aplicações mais importantes é a modernização dos processos de negócios para melhorar as estratégias de vendas e preços. A análise preditiva para criar produtos, melhorar o desempenho e personalizar os relacionamentos com os clientes são apenas algumas das oportunidades que a análise de dados oferece para organizações B2B.

Também é possível usar a análise de dados transacionais baseada em Inteligência Artificial (AI) para a gestão de risco financeiro, especialmente em relação aos padrões de comportamento de pagamento de clientes B2B. Dessa forma, as empresas podem antecipar cenários complexos e reduzir os riscos de perdas.

No final das contas, os dados são a força vital da economia e um importante impulsionador da inovação. Na medida em que, de acordo com o relatório final do estudo para a Comissão Europeia: "European Data Market Monitoring Tool", o mercado de dados deverá atingir 82,5 mil milhões de euros na UE até 2025.

Como é que estes ativos evoluirão nas empresas B2B?

Espera-se que as organizações continuem com os seus processos de transformação digital, aumentando assim os volumes de dados estruturados e não estruturados que geram diariamente. As empresas orientadas a dados que conseguirem explorá-los de forma adequada terão ganhos significativos nos próximos anos, alcançando um melhor posicionamento do que aquelas que não os consideram nas suas estratégias.

Claro que para transformar esses dados em ativos intangíveis verdadeiramente úteis, as empresas B2B devem ter as ferramentas de Big Data e Inteligência Artificial necessárias para isso, bem como profissionais de ciência de dados que as ajudem a gerenciar as informações com base na estratégia de negócios. Tudo isso para apoiar a tomada de decisões e otimizar estratégias de negócios, desde a entrada em novos mercados até investimentos e deteção de novas oportunidades de negócios.