Aplicação de soluções estratégicas para minimizar riscos em todo o processo Order-to-Cash
10/11/2021
Por Axesor

O Order-to-Cash (O2C) é o conjunto de procedimentos comerciais que se inicia com a realização de um pedido por um cliente e termina com o facturamento e cobrança desse pedido. Dependendo do tipo de produto ou serviço que a empresa comercializa, o processo pode ser mais ou menos simples.

A importância de saber controlar o processo Order-to-Cash

Para alcançar o crescimento do negócio, é muito importante que o negócio tenha controlo sobre os riscos comerciais, possuindo ferramentas que lhe permitam ter uma visibilidade das contas não cobradas e identificar faturas vencidas. Na verdade, o principal motivo do não pagamento ou dos problemas que aparecem no Order-to-Cash é justamente a falta de controlo das empresas sobre esses aspetos importantes.

Automatizar o processo O2C usando um software de gestão permitirá que os gerentes de negócios tenham uma visão global dos ciclos de vendas com os clientes. Além disso, uma análise pode ser feita para ajudar a antecipar e identificar problemas e resolvê-los.

Quando ocorre um problema econômico, a origem do problema pode ser encontrada em qualquer departamento onde certos dados importantes tenham sido esquecidos. Ter KPIs para controlo de logística, qualidade do produto, indicadores de comportamento de pagamento, entre outros parâmetros, permite tomar melhores decisões e aprimorar o processo de O2C, reduzindo a possibilidade de um rombo econômico.

Chaves para melhorar o processo Order-to-Cash da sua empresa

Gerir um negócio não é fácil, pois são muitos os fatores que podem afetar o negócio, um dos mais importantes é o risco de não pagamento por parte dos clientes. Saber como reduzir esse risco aumentará suas chances de sucesso. Estas seriam algumas chaves:

  • Esteja preparado para crises. É normal que o mercado tenha subidas e descidas e que, de vez em quando, ocorra uma crise. A melhor maneira de lidar com isso é se reinventando e, para isso, as empresas precisam ter um "colchão" financeiro que lhes permita sobreviver. Além disso, ter dados confiáveis e saber analisá-los permitirá ter uma estratégia com mais garantias, antecipar situações e tomar as melhores decisões diante das mudanças que possam ocorrer.
  • Ter certas coberturas e seguros. Existem seguros desenvolvidos para as necessidades específicas de cada empresa. Por exemplo, seguro de crédito por fatura, seguro de crédito por devedor, etc.
  • Ser embaixadores da transformação digital, atualizando-se com os mais recentes avanços em software de gestão, incorporando diversas funcionalidades como alertas em caso de alteração do estado de clientes, indicadores de comportamento nos pagamentos, possibilidade de acerto de faturas, etc.

Novos sistemas digitalizados para otimizar o processo O2C

Como já dissemos, a tecnologia é uma poderosa aliada para reduzir o risco de crédito empresarial. Muitas são as soluções que foram criadas para dar visibilidade às informações mais relevantes e para ajudar a empresa ou o CFO a tomar as melhores decisões.

Entre os sistemas informáticos mais úteis, temos as soluções Order-to-Cash, que visam não só reduzir o risco de crédito do negócio, mas também melhorar a gestão da cobrança das empresas que abrangem todo o ciclo com o cliente. O que este tipo de ferramentas fazem é facilitar uma gestão abrangente do ciclo de vendas, identificando os riscos inerentes ao negócio e as suas possíveis soluções, antecipando acontecimentos, dando recomendações…, tudo com uma abordagem transversal.

Porém, além das soluções voltadas para a gestão de riscos, convém complementá-las com soluções de Business Intelligence que permitam uma análise mais exaustiva da informação, indicando não só a situação atual da organização, mas o passado e, sobretudo, tudo, o futuro.

Em suma, saber controlar o risco do negócio, adotar certos hábitos na cultura empresarial e o uso de novas tecnologias permitem que as organizações tenham uma economia mais saudável. E isso é vital para lidar com as mudanças do mercado e as possíveis flutuações da economia.